sexta-feira, 10 de junho de 2011

AME



O maior desafio de todos os que podem ser propostos.
O objetivo que vai te tirar da sua zona de conforto na
busca de algo que vai além de você. O sonho que não
frustra. A mudança que não acaa. O brilho que não
termina. Ame. Seja mais do que você pode ser através do
amor. Rflita o amor. Espalhe o amor.

Deixe agora todas as desculpas para trás. Agora é a hora
de amar. De descobrir no outro um valor inestimável. De
ver na vida o que realmente importa. De investir no
inacreditável. De se dar pelo outro. Por todos, com
tudo. É tempo do amor que é mais do que meras palavras
bonitas. Amor que une distâncias, conceitos, idéias.
Amor que une através do tempo, do espaço e da história.

Amor que abraça, corre, chora, alegra, doa, perdoa, cria
e surpreende. É hora de vivermos o amor. O que era antes
de tudo e todos. O que será pra sempre. O que se doou
por todos - independente de quem sejam. O amor que
acredita em transformação. O amor que gera transformação.
O amor que é perfeito.

É hora de vivermos Ele, que é o amor.
Conceitos passam. Idéias mudam. Amor é eterno.
Desafie-se a amar como nunca antes.
Ame quem você não pensaria que pudesse amar.
Ame até não fazer sentido amar mais.
E é aí que a aventura do amor começa.

domingo, 10 de abril de 2011

BRILHE

Pense em uma lâmpada. Qual o pertencimento dela? Que
Lugar ela deve ocupar?

No girar desse mundo louco e obscuro, a maioria das
pessoas nascem e vivem pra esquecer a eminência de não
saberem pra que nasceram nem por que vivem, num ciclo
cego, vicioso e sem nexo.

O lugar para qual uma lâmpada foi criada é a rede de
força! Digo, ela é completamente inútil se dentro de
uma gaveta, ou numa rede sem energia. Mesmo que não
perca seu caráter de "lâmpada", ela ainda é inútil, não
cumprindo com o propósito para qual foi criada...
Todavia, quando ela se encontra com o seu 'bocal' e
seus contatos aderem ao movimento energético que há
nele, seu filamento vibra, seu interior incandesce com
a frequência dessa energia e ela brilha!

Curioso e óbvio é que nenhum bocal é instalado em uma
gaveta, ou atrás do armário... Geralmente é no teto, no
alto de postes, em paredes, e pra uma lâmpada tão frágil
brilhar nesses lugares é preciso coragem, é preciso
encarar o medo de altura, da chuva e do vento, e ainda,
é preciso encarar o medo de ser vista e de mostrar o que
antes o escuro encobria...

Uma lâmpada entrega luz à quem precisa enxergar e não
pra si mesma. Mais que isso, além de iluminar ela é a
evidência de que existe uma energia por trás das
paredes, que embora muitos insistam em não acreditar em
uma energia invisível que move o mundo, isso se torna
indiscutível quando internalizada pela lâmpada...

Todos, sem exceção, somos 'lâmpadas' em potencial,
gerados com capacidade pra emitir luz, de vibrar e
incandescer energia num mundo frio, e nesse caso,
brilhar é mais que mostrar o caminho aos perdidos no
escuro e um sentido de vida aos apagados, é cumprir com
o propósito pelo qual fomos concebidos e ser, sem
medos, a evidência clara de que existe uma energia
invisível, um amor vibrante e forte que move e sustenta
o universo.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

MUDE

Por muito tempo, pensei que mudar era para os que
estavam ao meu redor fazendo as coisas, que julgava eu
serem erradas, ou que simplesmente iam contra o que
acredito, ou que simplesmente eu não concordasse com
elas. É muito mais fácil ficar sentado esperando os
outros mudarem e, ainda pontuar a necessidade de mudança
toda vez que nos encontramos com ela.

Difícil mesmo é a gente tomar a "responsa" pra nós e
dizermos: sou eu que tenho que mudar primeiro. Porque
sinceramente se eu e você não formos diferentes do resto
e não entendermos que a mudança começa em cada um de nós;
ficar sentado falando, elocubrando, planejando, não vai
fazer o mundo nem a vida das pessoas melhores.

A frase de Gandhi acabou com todos os meus conceitos de
mudança. Quando li pela primeira vez "seja a mudança que
você quer ver" fui incomodado em todas as vias do meu
ser. Quer dizer que para ver algo melhorar Eu tenho
que mudar? SIM! Se a gente gastasse menos tempo
reclamando ou julgando e passasse mais tempo agindo,
brilhando, amando [porque sonhamos], mudança ia ser o
fluxo natural das coisas.

Todo dia temos a escolha de mudar ou não, ficarmos
confortáveis ou não. A decisão é nossa. E não adianta
nada gritarmos "MUDE" da nossa janela se não somos
pessoas que mudam todo dia! Mude o que precisa ser mudado
hoje pra viver com os olhos e esperança fixados Naquele
que nunca vai mudar!

sexta-feira, 25 de março de 2011

SONHE

















Sonhar é imaginar. Sonhar é ver o que ainda
não se pode pegar. Esse sonho é um tipo de fé.
Esse sonho é um tipo de esperança... Quem pode
sonhar este sonho? Aqueles que estão acordados,
em vigília, bem atentos, em alerta, bem vivos.

Não é o sonho freudiano onde o inconsciente se
reajusta, se satisfaz e apita um tant das suas
neuroses... Que sonha este sonho, está de olhos
abertos e já se abriu para uma louca mudança.

Então, sonhar seria um tipo de dança? Sim,
sonhar é um tipo belo de dança. É uma dança
inesperada, é um passo adiante, é um criativo
baile que enche os olhos da gente, é uma
coreografia que envolve os nossos pés e os
lança para fente, para o alvo, para o mais
excelente.

Sonhar?... Sonhar é um tipo de loucura iluminada!
Ah, esses sonhadores acabam de cara
arrumando confusão com a ordem perfeita das
coisas tão imperfeitas, exatamente porque
desejam iluminar a desordem; derramando luz
sobre o caos.

O que eles querem é apontar para o que torna
a vida mais plena, mais bela, mais inteira,
mais completa!

Uhum! Sonhar é assim: um tipo de Amor. Quem
sonha, ama. Quem ama, tem esperança. Quem tem
esperança, dança. Quem dança, ilumina a vida!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

E aí?

Sentia-me, não há muito tempo atrás, como terra ressequida, rachada por tanto receber raios radiandes da estrela maior. Não por ela, mas eu, sem buscar refúgio nas gotas ralas mas revigorantes como o orvalho, ou às vezes até como torrentes de chuva ou rios ou respingos, deixava de receber o que me era de regalia. Mas o tempo faz mudar.

Então, erguido, regado por Suas regras que não me degradam, mas ao contrário, me agradam, alego ser leal à Vossa Lealdade, excelência em pessoa, e me alegro.
Não deixe-me esquecer, que nem mesmo escondido no escuro esquivo-me de escutar o que, experiente, Teu Espírito diz ao meu.

Por não dormir até agradeço. Já estive assim por motivos piores, que não valem à pena. Pena que na hora eu não percebi. Ou se percebi, deixei passar. E a hora passou! A noite se foi! Passou como foice sob meus pés, me arrancando o sono e me deixou ali, deitado, de olhos fechados, enquanto o espetáculo começava.

O roteiro poderia mudar, e pode, dependendo do escritor, que faz suas próprias escolhas, não sendo impedido nem pelo próprio Diretor, o próprio Criador da história,que impelido pelo Seu amor,nos deu esse poder. Afinal, o final também cabe a cada um escolher, pelos meios que acharmos melhor. E lembrando que os começos já ficaram para trás, qual o fim que enfim escolheremos?

(Inspirado Espírito Santo de Deus - Rodrigo Svensson Casotto - 08/10/2010, 6ª Feira - 01:55h am)

terça-feira, 15 de junho de 2010

Insetos Interiores


"Notas de um observador:

Existem milhões de insetos almáticos.
Alguns rastejam, outros poucos correm.
A maioria prefere não se mexer.
Grandes e pequenos.
Redondos e triangulares,
de qualquer forma são todos quadrados.

Ovários, oriundos de variadas raízes radicais.
Ramificações da célula rainha.
Desprovidos de asas,
não voam nem nadam.
Possuem vida, mas não sabem.
Duvidam do corpo,
queimam seus filmes e suas floras.
Para eles, tudo é capaz de ser impossível.

Alimentam-se de nós, nossa paz e ciência.
Regurgitam assuntos e sintomas.
Avoam e bebericam sobre as fezes.
Descansam sobre a carniça,
repousam-se no lodo,
lactobacilos vomitados sonhando espermatozóides que não são.
Assim são os insetos interiores.

A futilidade encarrega se de 'mais tralos'.
São inóspitos, nocivos, poluentes.
Abusam da própria miséria intelectual,
das mazelas vizinhas, do câncer e da raiva alheia.
O veneno se refugia no espelho do armário.
Antes do sono, o beijo de boa noite.
Antes da insônia, a benção.
Arriscam a partilha do tecido que nunca se dissipa:
A família.

São soníferos, chagas sem curas.
Não reproduzem, são inférteis, infiéis, 'infertebrados'.
Arrancam as cabeças de suas fêmeas,
Cortam os troncos,
Urinam nos rios e na soma dos desagravos, greves e desapegos,
esquecem-se de si.
Pontuam-se.

A cria que se crie, a dona que se dane.
Os insetos interiores proliferam-se assim:
Na morte e na merda.
Seus sintomas?
Um calor gélido e ansiado na boca do estômago.
Uma sensação de: 'O que é mesmo que se passa?'

Um certo estado de humilhação conformada parece bem vindo e quisto.
É mais fácil aturar a tristeza generalizada
que romper com as correntes de preguiça e mal dizer.
Silenciam-se no holocausto da subserviência.
O organismo não se anima mais.
E assim, animais ou menos assim,
descompromissados com o próprio rumo,
desprovidos de caráter e coragem,
desatentos ao próprio tesouro...caem.
Desacordam todos os dias,
não mensuram suas perdas e imposturas.
Não almejam, não alma, já não mais amor.

Assim são os insetos interiores."

(O Teatro Mágico - Composição: Fernando Anitelli)

Ondas, nossa parte.






Certa vez me foi dito, não me lembro se pessoalmente ou coletivamente, mas acabei acreditando que alguma coisa poderia ser feita, e continuo acreditando.

Não se é especificado o quê, mas está claro que é possível, e se todos nós buscarmos, será fácil encontrar. Não está implícito a ninguém que pense. Você pensa?

Me foi creditado como pensamento que nossas atitudes podem ser como gotas no oceano. "Que diferença faz nesse mundo imenso, cheio de pessoas como eu e diferentes de mim?" Mas se as pequenas ondas que minha gota projetar chegarem a alguém que se sinta motivado a lançar uma gota a mais, a vibração da água aumentaria. E se essas duas gotas se transformassem em três, as ondas seriam maiores ainda. Bom, não vou ficar descrevendo números até chegarmos a uma onda gigantesca que seria capaz de causar grande impacto, pois creio que você já tenha entendido.

Certamente estou falando de boas atitudes, apesar de isso já acontecer com efeito inverso. Somos atacados diariamente com ondas opressoras, cheias de mal fantasiado, que destroem sem hesitação e nosso papel(falo de quem aceitar como sua a responsabilidade por seu lar,seu corpo, seu papel...)é agir de maneira que as ondas não sejam destrutivas, mas construtivas. Seria isso possível? Com metáfora, metonímia e algo mais tudo é possível. É só acreditar, o que não é simplesmente só!

(Mesmo porque as ondas não são formadas por gotas, mas por um efeito natural: o vento. [Veja explicação científica] )

Mas com esse pensamento encorajador de que podemos fazer algo para mudar a realidade em que vivemos, gostaria de finalizar esse texto contando uma história.


Imaginemos uma floresta onde todos os animais vivam em paz e conversem uns com os outros.

Vamos lá. Conto com sua criatividade! Imagine MESMO, cada animal, cada árvore, cada flor, forme a floresta em sua mente!

“Ao entardecer de certo dia, todos os animais começaram a correr,
fugindo de um GRANDE INCÊNDIO.

E naquele momento, uma cena muito estranha acontecia:

Um beija-flor voava do rio ao fogo, levando gotas d'água

em seu pequeno bico, tentando amenizar o grande incêndio.

O elefante, admirado com tamanha coragem, chega e pergunta ao beija-flor:


- Beija-flor, o senhor está ficando louco? Não está vendo que não vai conseguir apagar esse

incêndio com gotinhas d'água? Fuja enquanto é tempo!


E o beija-flor responde:

- Sei que não é possível apagar este incêndio apenas com gotas d’água, mas sei também que isso não é problema só meu. Eu estou fazendo a minha parte! Esta floresta é meu lar, e não se abandona um lar antes de lutar para salvá-lo!”


Lembre-se sempre: É possível, você faz a diferença!!!

Mas lembre-se também: Isso tudo não é na sua própria força. Se tentar assim você só vai acabar cansado e decepcionado,como muitos que tentaram e não mudaram nada. Há um segredo. Busque! Pense!!